Mostrando postagens com marcador Ciências. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Ciências. Mostrar todas as postagens

05 junho 2020

Atividade sobre IST

Atividade sobre ISTs

1º) Sobre o uso de métodos contraceptivos e as infecções sexualmente transmissíveis, marque a alternativa INCORRETA:

a.      (     ) A camisinha é um método que previne a gravidez, além de proteger contra algumas infecções sexualmente transmissíveis.

b.      (     ) O uso de anticoncepcionais orais, além de prevenir a gravidez, é eficaz na proteção contra ISTs.

c.      (     ) De todos os métodos contraceptivos, a camisinha é o mais eficaz na proteção contra ISTs.

d.      (     ) Algumas infecções sexualmente transmissíveis podem ser evitadas com medidas de higiene.


 

2º) A sífilis é uma doença transmitida pela bactéria Treponema pallidum. Essa infecção é caracterizada por:

a.      (     ) Inflamação no canal da uretra.

b.      (     ) Feridas nos órgãos sexuais, conhecidas por cancro duro.

c.      (     ) Baixa na imunidade do portador.

d.      (     ) Lesões dolorosas.

e.      (     ) Lesões dolorosas e ulceradas em todas as partes do corpo.


3º) A clamídia é uma infecção causada por bactéria e normalmente se apresenta assintomática, entretanto pode desencadear alguns problemas de saúde graves. A respeito dos sintomas e consequências dessa infecção em mulheres, marque a alternativa correta:

a.      (     ) A clamídia pode causar dores no pé da barriga, impedimento da gravidez ou gravidez tubária.

b.      (     ) A clamídia pode causar lesões dolorosas na vagina.

c.      (     ) A clamídia pode causar pequenas verrugas na região genital.

d.      (     ) A clamídia pode causar dores pélvicas e verrugas na região genital.

e.      (     ) A clamídia pode causar baixa na imunidade, permitindo assim a contaminação por outras doenças.


4º) A respeito das infecções sexualmente transmissíveis, marque a questão correta:

a.      Todas as infecções sexualmente transmissíveis são caracterizadas pelo aparecimento de lesões.

b.      A camisinha só é eficiente como método para proteger contra a gravidez.

c.      Uma mulher grávida pode transmitir uma doença sexualmente transmissível ao seu filho.

d.      Toda IST é transmitida exclusivamente por relação sexual.

e.      A AIDS, a sífilis, a gonorreia e a anemia são infecções sexualmente transmissíveis.


5º) O HIV é o vírus causador da AIDS. Essa doença ataca o sistema imunológico, deixando a pessoa mais suscetível a doenças chamadas de oportunistas. As células mais atingidas por esse vírus são:

a.      (     ) Hemácias.

b.      (     ) Plaquetas.

c.      (     ) Linfócitos T.

d.      (     ) Linfócitos B.

e.      (     ) Macrófagos. 


6º) Nem todas as doenças sexualmente transmissíveis possuem sintomas, sendo assim, não é possível descobrir se uma pessoa apresenta alguma DST apenas olhando para ela. Baseando-se nessa informação, marque a única alternativa que não garante a prevenção contra uma dessas doenças:

a) (     ) Usar camisinha em toda relação sexual.

b) (     ) Nunca compartilhar seringas.

c) (     ) Não compartilhar objetos de uso pessoal, como lâmina de barbear.

d) (     ) Não compartilhar roupas íntimas.

e) (     ) Utilizar sempre métodos comportamentais nas relações sexuais.


 7º) s doenças sexualmente transmissíveis podem ser causadas por diferentes agentes, tais como fungos, vírus, bactérias e protozoários. Entre as doenças abaixo, marque a única causada por um protozoário.

a) (     ) Aids.

b) (     ) Tricomoníase.

c) (     ) Hepatite.

d) (     ) Candidíase.

e) (     ) Gonorreia.


 8º) O HPV provoca uma doença que ocasiona uma verruga genital, além de ter relação direta com o câncer do colo do útero. Analise as alternativas a seguir e marque o nome da DST provocada pelo HPV.

 a) (     ) Herpes genital.

b) (     ) Gonorreia.

c) (     ) Sífilis.

d) (     ) Condiloma acuminado.

e) (     ) Cancro mole.


 9º) A Aids é uma doença que se caracteriza pelo enfraquecimento do sistema imunológico, o que desencadeia o surgimento de doenças oportunistas. Sobre a Aids, marque a alternativa correta:

a) (     ) A Aids é causada por um vírus chamado de HPV.

b) (     ) A Aids é transmitida exclusivamente por via sexual.

c) (     ) A Aids, se tratada precocemente, apresenta 100% de chances de cura.

d) (     ) O exame para detectar o vírus da Aids é feito por meio da coleta de sangue e não é disponível gratuitamente.

e) (     ) O uso de medicamentos antirretrovirais ajuda a aumentar a sobrevida dos soropositivos.

24 maio 2020

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: O que (provavelmente) são ETs?

???

Sequência didática

O que (provavelmente) são ETs?

Nesta sequência didática, serão abordados conceitos relativos à vida fora da Terra, bem como dificuldades associadas a viagens espaciais tripuladas.

A BNCC na sala de aula

Objeto de conhecimento

Vida humana fora da Terra.

Competências específicas de Ciências da Natureza

1. Compreender as Ciências da Natureza como empreendimento humano, e o conhecimento científico como provisório, cultural e histórico.

2. Compreender conceitos fundamentais e estruturas explicativas das Ciências da Natureza, bem como dominar processos, práticas e procedimentos da investigação científica, de modo a sentir segurança no debate de questões científicas, tecnológicas, socioambientais e do mundo do trabalho, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

3. Analisar, compreender e explicar características, fenômenos e processos relativos ao mundo natural, social e tecnológico (incluindo o digital), como também as relações que se estabelecem entre eles, exercitando a curiosidade para fazer perguntas, buscar respostas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das Ciências da Natureza.

Habilidades

(EF09CI16) Selecionar argumentos sobre a viabilidade da sobrevivência humana fora da Terra, com base nas condições necessárias à vida, nas características dos planetas e nas distâncias e nos tempos envolvidos em viagens interplanetárias e interestelares.

Objetivos de aprendizagem

Discutir questões relativas à vida extraterrestre.

Conhecer ambientes e organismos extremófilos.

Ponderar sobre dificuldades associadas a viagens espaciais.

Conteúdos

Astrobiologia.

Viagens espaciais.

Materiais e recursos

Materiais para anotação.

Computadores com internet.

Desenvolvimento

Quantidade de aulas: 2.

Aula 1

Iniciar a aula separando os alunos em pequenos grupos. Eles deverão responder a algumas perguntas (que serão discutidas em sala na aula seguinte). O intuito deste questionário é incentivar os alunos a refletirem sobre o significado de vida extraterrestre.

1. O que é vida? Como vocês a definiriam?

2. O que é necessário para a vida?

3. Qual é a forma de vida mais complexa que vocês conhecem? E a mais simples?

4. Quais são as regiões mais difíceis e/ou extremas em que há vida na Terra? Por quê?

5. Quais formas de vida habitam essas regiões?

6. Façam um desenho de uma forma de vida extraterrestre que vocês imaginam ser possível existir.

Em formato de roda, realizar uma discussão coletiva acerca das respostas. Questionar diferentes grupos sobre suas respostas e dirigir a discussão introduzindo os conceitos corretos (caso não sejam apontados pelos grupos).

Alguns pontos são essenciais e devem aparecer durante a discussão. O primeiro deles é o de que não há uma resposta correta para a pergunta 1. Existem diferentes interpretações, oriundas de diferentes áreas do conhecimento, e todas têm a sua validade. O segundo ponto é que as características necessárias para a vida são subjetivas a cada forma de vida. Por exemplo, nós necessitamos de oxigênio tanto quanto plantas necessitam de luz solar, ao passo que alguns organismos unicelulares não necessitam nem de um nem de outro. Outro ponto é a importância do estudo de locais "extremos" da Terra e o tipo de organismo que vive ali, os extremófilos. Esses locais abrigam condições extremas e que podem ser parecidas com a de ambientes encontrados em outros planetas. Deve-se exemplificar alguns astros com possibilidade de vida, como Marte e Europa (lua de Júpiter), que possuem água subterrânea. Por fim, espera-se que os grupos desenhem seres extraterrestres na questão 6 de acordo com o que veem na TV. Deve-se discutir que a maior probabilidade é que se encontrem seres simples, como bactérias e não seres como os retratados em filmes. Pode-se, por exemplo, solicitar que alguns grupos reproduzam seus desenhos na lousa antes de discutir essa questão.

Ao final da aula, solicitar, como dever de casa, que os alunos pesquisem curiosidades e informações sobre viagens espaciais.

Sugestão de referência para contextualização teórica:

CLIQUE CIÊNCIA: quais são as condições para existir vida em outro planeta? UOL, 11 fev. 2014. Disponível em: <https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2014/02/11/clique-ciencia-quais-sao-as-condicoes-para-existir-vida-em-outro-planeta.htm>. Acesso em: 20 nov. 2018.

MARTINS, Evelyn Cristine de Freitas Marques; VASCONCELOS, Fredson de Araujo. Extremófilos: tipos, propriedades, zona de habitabilidade extrema. Disponível em: <https://www1.univap.br/spilling/AB/Aula_16%20Extremofilos.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2018.

Aula 2

Em forma de roda, iniciar uma discussão com a turma sobre o que seria necessário para realizar uma viagem espacial e colonizar Marte, local mais próximo da Terra com possibilidade de existir vida. Solicitar que os alunos expressem suas ideias e o que pesquisaram como dever de casa, anotando-as na lousa em forma de tópicos. O intuito desta discussão é ponderar as dificuldades relacionadas às viagens espaciais. Exemplos de tópicos a serem considerados: segurança e treinamento dos passageiros, tempo de viagem, longa distância, alimentação e respiração em Marte, tempo de duração da viagem, quantidade de combustível necessária, transporte de materiais de construção, custos associados a todo o processo etc. Cabe ao docente inserir informações de modo a incentivar a reflexão nos alunos em vez de simplesmente fornecer informações.

Após essa conversa inicial, organizar os alunos e grupos para que se aprofundem sobre o tema em discussão. Os grupos devem pesquisar, na internet ou em materiais impressos previamente separados pelo professor, temas como:

Higiene dentro da cabine do ônibus espacial.

Armazenamento de água no ônibus espacial.

Alimentação durante a viagem.

Efeitos da ausência de gravidade no corpo.

Treinamento e preparação dos astronautas.

Outros tópicos podem ser inseridos pelo docente para direcionar a pesquisa.

Ao final, pode-se realizar o fechamento com uma discussão a respeito dos temas pesquisados. Podem-se abordar sugestões de filmes sobre o assunto e curiosidades etc. A tabela a seguir pode ser reproduzida na lousa como comparação ao serem abordados o tempo e a distância das viagens espaciais.

Viagem tripulada

Distância

Tempo de duração

Porto Alegre (RS) - Boa Vista (RR)

3 800 km

5 h (800 km/h)

Los Angeles (EUA) - Singapura (SIN)

14 000 km

18 h (800 km/h)

Terra - Lua

384 000 km

~3 dias (ano de 1969)

Terra - Marte

Variável de acordo com as órbitas dos planetas

-

Sugestão de contextualização teórica

GNIPPER, Patrícia. Estas são as naves que um dia levarão turistas e astronautas ao espaço. Canal Tech, 9 ago. 2018. Disponível em: <https://canaltech.com.br/espaco/essas-sao-as-naves-que-um-dia-levarao-turistas-e-astronautas-ao-espaco-119824/>. Acesso em: 20 nov. 2018. Artigo de divulgação científica sobre as naves que serão utilizadas nas viagens interespaciais.

LEITE, Rogério. 20 de julho de 1969: um grande salto para a humanidade! Apolo 11 40 anos. Disponível em: <https://www.apolo11.com/homem_na_lua.php>. Acesso em: 24 nov. 2018. Artigo de divulgação científica sobre a chegada do ser humano na Lua.

MOREIRA, Isabela. Como os astronautas tomam banho no espaço? Revista Galileu, 24 ago. 2015Disponível em: <https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2015/08/como-os-astronautas-tomam-banho-no-espaco.html>. Acesso em: 20 nov. 2018. Artigo de divulgação científica sobre a higiene dos astronautas.

O QUE OS Astronautas comem. Blog da Biblioteca da FSP/USP, 16 abr. 2012. Disponível em: <http://www.biblioteca.fsp.usp.br/blog/index.php/2012/04/16/o-que-os-astronautas-come/>. Acesso em: 20 nov. 2018. Artigo de divulgação científica sobre a alimentação dos astronautas.

PERDIDO em Marte: trailer do filme. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=QVX5DSzRn14>.

QUANTO custa construir um ônibus espacial? E lançá-lo ao espaço? Disponível em: <https://www.terra.com.br/noticias/educacao/infograficos/onibus-espaciais/onibus-espaciais-01.htm>. Acesso em: 20 nov. 2018. Infográfico sobre ônibus espaciais.

WESTPHAL, Cristian Reis. Quanto tempo é preciso para chegar a Marte? SustentaHabilidade, 15 set. 2018. . Disponível em: <http://sustentahabilidade.com/quanto-tempo-e-preciso-para-chegar-a-marte/>. Acesso em: 20 nov. 2018. Artigo de divulgação científica sobre o tempo necessário para viajar até Marte

Para trabalhar dúvidas

Em momentos de trabalho em grupo deve-se deixar que os alunos auxiliem uns aos outros. É importante estimular o debate entre eles para que aprendam a expressar suas dúvidas e selecionar argumentos, construindo assim um raciocínio em direção à resposta, em vez de recorrer sempre ao professor. O professor pode intermediar e direcionar a discussão, sem revelar a resposta. É fundamental estimular a reflexão e o raciocínio crítico dos alunos.

Avaliação

A avaliação faz parte de todo o processo, considerar a postura de trabalho individual do aluno em relação ao grupo, a participação, os argumentos, o respeito aos colegas. Incentivar os debates e a participação de todos.

Avaliar também a postura individual do aluno nas discussões em roda, sempre promovendo perguntas, de modo a garantir que os alunos mais tímidos se expressem e tirem suas dúvidas.

Ampliação

Aproveitando a temática "viagem ao espaço", seria interessante realizar uma oficina de construção de foguetes com os alunos e a comunidade escolar. Pode-se combinar um ponto de encontro para realizar a oficina.

Os foguetes podem ser construídos com materiais comuns e baratos, ou recicláveis, e o procedimento de montagem é relativamente simples.

Materiais:

Vinagre.

Bicarbonato de sódio.

Tesouras com pontas arredondadas.

Garradas PET (duas grandes e de mesmo tamanho por foguete).

Cartolina ou papel-cartão.

Fita adesiva.

Barbante ou linha equivalente.

Régua.

Canetas/lápis.

Rolhas.

Devem-se tomar medidas de segurança para que o vinagre utilizado não entre em contato com os olhos durante o lançamento do foguete.

FOGUETE caseiro de vinagre e bicarbonato de sódio. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=5MdUyZwaFfQ>. Acesso em: 20 nov. 2018.


Fonte: PNLD

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: Aprendendo com as estrelas

???

Sequência didática

Aprendendo com as estrelas

Nesta sequência didática, serão abordados conceitos relativos ao ciclo de vida estelar e algumas relações entre Astronomia e diferentes necessidades antropológicas.

A BNCC na sala de aula

Objetos de conhecimento

Evolução estelar.

Astronomia e cultura.

Competências específicas de Ciências da Natureza

1. Compreender as Ciências da Natureza como empreendimento humano, e o conhecimento científico como provisório, cultural e histórico.

2. Compreender conceitos fundamentais e estruturas explicativas das Ciências da Natureza, bem como dominar processos, práticas e procedimentos da investigação científica, de modo a sentir segurança no debate de questões científicas, tecnológicas, socioambientais e do mundo do trabalho, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

Habilidades

(EF09CI17) Analisar o ciclo evolutivo do Sol (nascimento, vida e morte) baseado no

conhecimento das etapas de evolução de estrelas de diferentes dimensões e os efeitos desse

processo no nosso planeta.

(EF09CI15) Relacionar diferentes leituras do céu e explicações sobre a origem da Terra, do Sol

ou do Sistema Solar às necessidades de distintas culturas (agricultura, caça, mito, orientação

espacial e temporal etc.).

Objetivos de aprendizagem

Conhecer o processo evolutivo das estrelas.

Compreender a relevância das observações astronômicas em diferentes contextos.

Conteúdos

Ciclo de vida estelar.

Observação do céu.

Materiais e recursos

Materiais para anotação.

Desenvolvimento

Quantidade de aulas: 2.

Aula 1

Realizar uma aula expositivo-dialogada a respeito do ciclo de vida das estrelas, relacionando-o com o nosso Sol. É interessante retomar alguns conceitos de 6 e 7 anos envolvendo a noção de tempo geológico, ou seja, de que as mudanças que ocorrem no Sol (e que se refletem na Terra) ocorrem em uma escala de tempo diferente da nossa. Pode-se, por exemplo, desenhar uma linha do tempo na lousa representando a evolução de uma estrela e comparar o tempo necessário em vidas humanas para cada etapa dessa evolução.

Após essa conversa inicial, organizar a turma em grupos de quatro alunos e distribuir cópias do texto a seguir:

D'ALAMA, Luana. Equipe da USP ajuda a descobrir mais velha estrela 'gêmea' do Sol. G1, 28 ago. 2013. Disponível em: <http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2013/08/equipe-da-usp-ajuda-descobrir-mais-velha-estrela-gemea-do-sol.html>. Acesso em: 20 nov. 2018.

Os grupos devem realizar a leitura e anotar os principais tópicos do texto. Algumas perguntas podem direcionar a leitura, como:

1. Qual foi a estrela gêmea do Sol? Por que foi denominada assim?

Resposta: A Hipparcos 102152 (ou HIP 102152) fica a 250 anos-luz de distância da Terra, na constelação de Capricórnio. Foi assim denominada por ter características parecidas com as do Sol e ter planetas rochosos como Mercúrio, Vênus, Terra e Marte em sua órbita.

2. Por que os cientistas querem descobrir outras estrelas gêmeas do Sol?

Resposta: Para estudarem a dinâmica do envelhecimento solar.

3. Qual a importância do lítio para o entendimento do envelhecimento solar?

Resposta: À medida que uma estrela envelhece, sua temperatura aumenta e isso também favorece que o lítio se dissipe. Então, ao estudar o lítio nas estrelas, é possível saber sobre seu envelhecimento.

Em seguida, exibir os vídeos sugeridos a seguir sobre os ciclos estelares. Podem ser exibidos ou selecionados alguns deles:

ASTRONOMIA: nascimento, vida e morte das estrelas. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ZMKjm41mwJk>. Acesso em: 20 nov. 2018.

COMO AS estrelas nascem e morrem? Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=vyRIh5SbKqk>. Acesso em: 20 nov. 2018.

VIAGEM pelo universo: a vida de uma estrela. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=v0s5J4U8L9s>. Acesso em: 20 nov. 2018.

Após a exibição, organizar uma roda de conversa com as questões sobre o texto e o conteúdo dos vídeos. É importante também sempre interagir com os alunos, questionando-os sobre suas opiniões e dúvidas.

Sugestão para leitura

TOLEDO, Luiza. Nasce e morre uma estrela: entenda o ciclo de vida estelar! A Ciência Explica, 14 set. 2018. Disponível em: <http://www.cienciaexplica.com.br/artigos/astronomia/ciclo-de-vida-estrelas/>. Acesso em: 20 nov. 2018.

Aula 2

Iniciar a aula retomando os conteúdos abordados na aula anterior e questionar os alunos: que informações úteis nós podemos obter ao olhar para o céu? Em que contextos elas seriam úteis?

Separar os alunos em pequenos grupos para que pesquisem, na internet ou em materiais impressos previamente separados pelo professor, e proponham relações entre as posições dos astros (visíveis a olho nu) e as diferentes necessidades de quem está olhando para o céu. Para as pesquisas, alguns tópicos podem ser pontuados, como as sugestões a seguir. Reservar 15 minutos para esta etapa.

Sugestões de tópicos para pesquisa e discussão

Agricultura - muitas civilizações associavam (e ainda hoje associam) posições de astros e os ciclos lunares à época correta de plantio e colheita. Isso está relacionado diretamente com as estações do ano e o clima.

Caça - muitos animais apresentam comportamentos relacionados às diferentes fases da Lua ou aos horários do dia. Um caçador que tenha conhecimento desses comportamentos terá mais chances de ser bem-sucedido.

Orientação - é possível estimar o tempo a partir da posição do Sol ou da Lua no céu. Além disso, é possível também estimar os pontos cardeais a partir da observação da movimentação do Sol ou da posição de diferentes estrelas no céu.

Sugestão de sites para pesquisa

ASTRONOMIA ON-LINEA Astronomia da antiguidade. Disponível em: <http://www.ccvalg.pt/astronomia/historia/antiguidade.htm>. Acesso em: 20 nov. 2018.

CENTRO DE DIVULGAÇÃO DA ASTRONOMIA. Disponível em: <http://www.cdcc.sc.usp.br/cda/ensino-fundamental-astronomia/index.html>. Acesso em: 20 nov. 2018. Inclui informações de orientação espacial.

CORRÊA, Iran Carlos Stalliviere. História da Astronomia. Disponível em: <http://www.ciencias.seed.pr.gov.br/arquivos/File/Astronomia/Historia_da_Astronomia.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2018.

Em seguida, realizar uma discussão coletiva em que os grupos expõem suas pesquisas e ideias. Cabe ao docente dirigir a discussão de modo reflexivo e que demonstre aos alunos que existem muitas informações "escondidas" em uma observação astronômica. É fundamental apresentar exemplos pontuais de situações em que a observação do céu é utilizada.

Para trabalhar dúvidas

Caso algum grupo tenha dificuldades na etapa inicial da aula 2, pode-se sugerir a eles que imaginem uma civilização tecnologicamente "limitada" (quando comparada com os dias atuais). Pode-se utilizar perguntas norteadoras como: "quais as necessidades básicas destas civilizações? Como observar o céu poderia ajudar a satisfazer tais necessidades?". Além disso, os vídeos e textos sugeridos podem ser explorados para auxiliar no entendimento dos conteúdos.

Avaliação

A avaliação faz parte de todo o processo; devem ser considerados a participação, a interação com a turma, o respeito aos colegas, os argumentos, a postura do aluno em contribuir para o trabalho em grupo e para as discussões em sala de aula. Complementarmente, pode-se utilizar questões como as sugeridas abaixo:

1. O que é ciclo estelar?

Resposta: É o conjunto de mudanças que uma estrela sofre durante seu tempo de vida, desde seu surgimento (nascimento) até sua desintegração (morte).

2. As informações relacionadas à observação dos astros podem auxiliar em quais atividades humanas?

Resposta: Essas informações podem ser usadas na agricultura, caça e localização espacial/temporal.

Ampliação

Para ampliar o tema, pode-se realizar uma "noite astronômica" na escola. Seria um evento em que os alunos se reúnem à noite e dormem na escola. O evento teria 3 atividades principais: observação de constelações (incluindo a determinação do ponto cardeal sul a partir do Cruzeiro do Sul), jantar e exibição de um filme com a temática espacial. Sempre solicitar a autorização dos pais ou responsáveis para esse tipo de atividade.

Para as atividades de observação, pode-se utilizar sites de busca na internet para encontrar algum aplicativo para facilitar a localização das constelações.

Caso haja a possibilidade, pode-se utilizar lunetas e outros aparelhos de observação celeste.

Fonte: PNLD